DOENÇA DE MÉNIÈRE - Causas, Sintomas E Tratamento

DOENÇA DE MÉNIÈRE - Causas, Sintomas E Tratamento


A doença de Ménière, chamada bem como de hidropsia endolinfática, é um distúrbio do ouvido interno que circunstância episódios de vertigem, perda auditiva progressiva e zumbidos no ouvido. Indivíduos na faixa dos quarenta a cinquenta anos são os mais acometidos, contudo a doença de Ménière poderá transcorrer em qualquer idade, até já em gurias. Apesar de que a doença de Ménière seja considerada uma doença crônica, neste momento existem várias maneiras de tratamento que podem acudir a aliviar os sintomas e minimizar o encontro da doença a extenso período. Para entendermos a doença de Ménière é preciso ter, ao menos, uma básica consciência da anatomia e fisiologia do ouvido interno, lugar onde se acha o labirinto, órgão responsável pela manutenção do equilíbrio.


O labirinto é um conjunto de arcos semicirculares que possuem líquidos em seu interior chamados de endolinfa. A movimentação destes líquidos, que acontece sempre que nos movemos ou mudamos de posição, é transformada em sinais elétricos que irão pra cérebro, onde eles são interpretados de modo a distinguir nossa real posição no espaço. O que é a Doença de Ménière?


A doença de Ménière surge quando, por motivos ainda não bem elucidados, ocorre um acréscimo do volume de endolinfa dentro do labirinto, provocando uma distensão desse compartimento por acréscimo da pressão interna. Infecções, traumas cranianos, enxaqueca, transformações do sistema imunológico, variações anatômicas do ouvido interno ou predisposição genética são novas das modificações que podem conduzir ao acrescentamento da pressão endolinfática. Independentemente da razão, essa mudança da pressão interna do ouvido faz com que os sinais enviados ao cérebro tornem-se mais imprecisos, o que justifica a ocorrência de sintomas como a tontura e o desequilíbrio.


Os termos doença de Ménière e síndrome de Ménière são frequentemente usados como sinônimos. Na verdade, há uma pequena diferença. O termo síndrome de Ménière é mais corretamente empregado quando a razão do aumento da pressão dentro do labirinto é conhecida, como, como por exemplo, nos casos que surgem depois de um traumatismo craniano. De imediato o termo doença de Ménière precisa ser usado preferencialmente no momento em que o acrescentamento da pressão endolinfática surge sem circunstância identificável. Um em cada 10 pacientes que se queixam de sintomas de vertigem tem doença ou síndrome de Ménière. A vertigem é um tipo de específico de tontura que provoca a sensação do lugar ao seu redor estar girando.


A tontura rotatória da vertigem é parelho àquela que sentimos no momento em que giramos no nosso respectivo eixo diversas vezes e depois paramos subitamente. Impressão de ouvido entupido. Os sintomas da doença de Ménière são intermitentes, quer dizer, irão e voltam com o tempo. Às vezes, o tempo de remissão dura incalculáveis meses. Em geral, somente um dos ouvidos é acometido, contudo o acometimento bilateral não é impossível. Ao longo das crises, os capítulos de vertigem são capazes de durar entre 20 minutos até 24h.


Náuseas e vômitos são muito frequentes na fase aguda da tontura. No instante da recessão, o paciente fica incapacitado, que além das náuseas intensas, ele fornece também extenso complexidade de se conservar equilibrado. Essa impressão de desequilíbrio poderá ainda permanecer por mais alguns dias, em intensidade menor, depois da resolução da vertigem. A perda de audição é flutuante, com alternância entre períodos de agravamento e evolução espontânea.


Sons de baixa frequência são, a princípio, os mais afetados. Com o passar do tempo, mas, a cada crise, o paciente perde de forma eterno um tanto da sua audição. Ao longo de 10 anos de doença isso pode talvez resultar em importante perda auditiva pra todas as frequências de sons. A gravidade da doença de Ménière varia de caso a caso. Em alguns, as vertigens são violentes, mantendo o paciente o dia inteiro de cama e com diversos capítulos de vômitos. Em outros , o quadro poderá ser suave, causando incômodo, no entanto não incapacitação.




No momento em que O Objetivo é A redução de peso

As crises são capazes de ser desencadeadas por estresse, passo menstrual, cigarro ou transformações na dieta. Antes das crises de vertigem surgirem, é comum o indivíduo sentir uma sensação de ouvido entupido. Com o ir dos anos, o paciente podes assimilar a discernir uma queda se aproximando. O evento da vertigem ser intensa não significa necessariamente que o tinnitus e a perda auditiva assim como serão.


Principalmente nos primeiros anos de doença, a exibição do quadro varia muito de um ser pro outro. Em diversos casos, a doença de Ménière cura-se sozinha. Após 8 anos, mais de 70 por cento dos pacientes descobrem-se claramente livre dos sintomas. O problema é que, depois de tantos anos, muito acabam por construir perdas parciais, entretanto permanentes, da audição e do equilíbrio. Não existe um checape ou teste específico para se diagnosticar a doença de Ménière. Em geral, o diagnóstico é feito por meio do exame físico e da história clínica do paciente.


Às vezes, o paciente permanece com graus variáveis de sintomas auditivos e tontura por até três anos antes de atingir achar um médico que estipule o diagnóstico correto. As regras diagnósticos propostos pela Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço são nos dias de hoje os mais usados pra explicação do diagnóstico da doença de Ménière. História de no mínimo dois capítulos de vertigem com duração mínima de 20 minutos. Confirmação de perda auditiva através de um check-up audiométrico. Além desses critérios, também é significativo descartar doenças que possam criar um quadro clínico parecido, como esclerose múltipla, neuroma do acústico, diabetes mellitus, doenças da tireoide e novas doenças do ouvido interno. Não existe cura pra doença de Ménière, contudo há tratamento efetivo pros sintomas pela maioria dos casos.


Apagar a regularidade e a gravidade dos ataques de vertigem. Aliviar sintomas crônicos, como os zumbido e os defeitos de equilíbrio. Tentar impedir a progressão da doença, principlamente a perda de audição e o desequilíbrio. Ataques de vertigem conseguem ser controlados em até 95 por cento dos pacientes, bem que a perda de audição progressiva improvavelmente fale ao tratamento. Os casos com melhores resultados costumam ser aqueles que foram encaminhados precocemente para um médico otorrinolaringologista. Além do tratamento médico justamente dito, outras modificações de estilo de vida assim como são primordiais. Em diversos casos, as crises da síndrome de Ménière conseguem ser desencadeadas por fatores como: consumo de cafeína, álcool, exagero ode sal, nicotina, estresse, reações alérgicas.


Evitar estes gatilhos é primordial pro controle da doença. Ao longo das crises, o tratamento visa aprimorar a vertigem e aliviar as náuseas. Drogas como diazepam, lorazepam, meclizina, dimenidrinato, escopolamina, prometazina e proclorperazina costumam ser as mais utilizadas pra esses fins. Passada a decadência, alguns medicamentos precisam ser usados pra controle da doença a grande prazo. Diuréticos, como a hidroclorotiazida, e o vasodilatador beta-histina são os remédios com melhores resultados a comprido prazo. Terapia de reabilitação vestibular, que são exercícios específicos com intenção de auxiliar o teu organismo a maximizar o equilíbrio. Emprego de Aparelho auditivo para os pacientes com redução infinito da audição.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *